NOVA ACADEMIA DE LÍDERES APRIMORA GESTÃO E LIDERANÇA NA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

Published on
26 março 2021
admin
admin

A próxima turma do programa Academia de Líderes – um dos programas mais completos de alta performance voltado à formação de gestores na indústria, tem previsão para ser formada já no primeiro trimestre de 2021. A primeira edição teve seu evento de encerramento entre 20 e 22 de novembro. O programa é desenvolvido pelo CDPI Pharma – Centro de Desenvolvimento Profissional Industrial, utilizando método assertivo, com experiente equipe de apoio e com os melhores especialistas para mostrar qual caminho seguir para ser um gestor líder no setor.

“Estamos falando da carreira que está entre as mais promissoras e disputadas do mercado. Não basta querer, é preciso determinação e foco, capacitação e flexibilidade. É necessário discernimento para trabalho em equipe e, principalmente, para liderar essa equipe. À medida que você vai galgando novas posições, mais lhe será exigido e mais você precisará tomar decisões que impactarão os rumos do negócio”, disse o diretor do CDPI Pharma e diretor do Ephar – Instituto Analítico, Poatã Casonato.

A Academia de Líderes teve quatro meses de duração e promoveu o diálogo com líderes e profissionais conceituados, ampliando o networking dos alunos e oferecendo, assim, uma sólida e efetiva orientação profissional. Trata-se de um reconhecimento imprescindível para quem deseja promover transformações relevantes na carreira industrial.

Outra matéria sobre o tema: Como desenvolver uma carreira promissora na indústria farmacêutica

“O que eu acho mais importante é que o programa não surgiu de uma ideia nossa, mas realmente da demanda e da necessidade desse tempo que temos de trabalho na indústria, de perceber, ainda mais nesse momento de transformação do mundo, a necessidade que existe de trabalhar a comunicação, a gestão, dentro de um ambiente conhecido por ser um pouco mais conservador e que está começando a se abrir”, destacou um dos coordenadores do curso, Guilherme Margonari. Ele complementa: “Esse é um meio muito regulado, rígido, onde as pessoas acreditavam não haver espaço para uma comunicação mais humanizada, novas técnicas de gestão, mais modernas, dinâmicas, que possam trazer mais interação e mais resultados”.

A Academia de Líderes veio para trazer a essa geração, que está buscando inovação e que está aberta à mudança, ferramentas para essa transformação. Os alunos são profissionais que buscam realmente inovar e, de acordo com Margonari, isso em médio prazo trará impacto muito grande dentro da gestão da indústria farmacêutica, porque as pessoas estão adquirindo uma visão muito mais humanizada, colaborativa, participativa, sem perder o foco no resultado.

“Faltava um curso focado nos profissionais da indústria farmacêutica, trazendo todo esse background de inovação que veio das empresas de tecnologia, junto com a comunicação, falamos muito da comunicação não-violenta, empática, e sem perder o foco na entrega”, reiterou o coordenador.

A diretora de operações da Eurofarma, Roberta Souza, foi uma das convidadas para o evento de encerramento. Ela falou aos participantes sobre o aprendizado da liderança, que comumente não se aprende na faculdade. As pessoas saem com formação técnica e, ao ingressarem no mercado, aprendem forçadamente na cadeia. Segundo ela, a inciativa de um treinamento voltado para o desenvolvimento da liderança ajuda muito a indústria farmacêutica.

“A área de qualidade acaba sendo um pouco parecida com a questão da liderança quando se sai do ambiente acadêmico, ou seja, com pouca formação, até porque as normas mudam muito. Todo ano a Anvisa revisa legislações que são muito aplicadas na área de qualidade, então acabamos saindo da faculdade sem essa formação. Uma pós-graduação adiciona ainda mais ao profissional de qualidade da indústria farmacêutica”, afirmou Roberta.

Para ela, seu sucesso como líder é atribuído à sua paixão pelas pessoas, ao seu gosto em fazer conexões, e pela felicidade em ver os outros realizando sonhos, crescendo. Essa é a verdadeira motivação.

AUTOGESTÃO

A médica e master coach Solange Silexi levou aos alunos conceitos de autoliderança e autogestão. Nesse último cabem reflexões sobre as próprias atitudes, o trabalho, a própria vida, onde se quer chegar e as pessoas ao redor. É preciso assumir responsabilidades, conhecer a si mesmo, apreender a cooperar, conhecer os próprios limites e alcances.

“Eu acho que o CDPI foi muito feliz na escolha do tema, porque misturaram o pessoal com o tema técnico da própria indústria farmacêutica, porque não tem como desvincular o pessoal do profissional, fizeram essa mescla em que a pessoa vai se desenvolvendo como ser humano e, ao mesmo tempo, vai se desenvolvendo dentro da sua empresa, achei esse projeto genial”, disse Solange, que é professora do programa.

Autoliderança é a base do líder e significa gerenciar seus pensamentos, emoções e ações, mas é muito mais do que isso. É ser congruente ao que pensa, sente e faz. É ter a mesma ética em família e nos negócios, é saber como pode transformar o meio, primeiramente, se transformando.

INSPIRAÇÃO E SUCESSO

Com 17 anos de experiência na indústria farmacêutica, sendo 11 anos atuando na área de desenvolvimento farmacotécnico de medicamentos genéricos e similares e suporte técnico a área fabril das formas farmacêuticas de sólidos orais, líquidos orais, injetáveis e semissólidos, Júlio Umberto Rossi é, atualmente, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Grupo Cimed, um dos mais importantes do País e também foi um dos palestrantes especiais no evento de encerramento.

Para ele, o sucesso é para todos. Ele é único e exclusivamente seu. Às vezes o que motiva alguém, o que traz sucesso, pode ser uma viagem ao ano, algo mais simples. Dentro da indústria farmacêutica, todo mundo almeja chegar à presidência, ter um grande cargo, ser um grande CEO, mas existem pessoas que não têm essa aspiração, mas querem ser um bom gerente, por exemplo.

Na avaliação de Rossi, o sucesso pode ser para todos, mas ele tem que ser alcançado, ele não vem de graça. Alcançável, não, ele tem quer ser alcançado, é preciso fazer ações no presente para poder obter sucesso no futuro.

“Como um profissional de exatas, eu entendo que um plano de ação e o objetivo tem que ser palpável. Se você tem uma meta muito ousada, muito grande, fatia essa meta em pequenas partes e vai alcançando-as. O tempo é inerente à sua meta e faz parte do contexto”, contou Rossi.

GESTÃO DE PESSOAS E TECNOLOGIA

O palestrante internacional de coaching corporativo, liderança empresarial e empreendedorismo inovador, Oswaldo Aragol, disse que treinamento oferecido pela Academia de Líderes é fundamental para a sobrevivência dos profissionais.

Todas as empresas comerciais, startups, que estão no auge, trabalham bastante esses elementos. O forte dos grandes é a gestão de pessoas. Quem está por trás da tecnologia? As pessoas!

Outra matéria sobre o tema: Conheça a trajetória de três líderes da indústria farmacêutica

“Já somos dominados por computador, dez anos mais os robôs serão mais inteligentes que os homens. Criamos algo que já saiu das mãos de alguma maneira. Esse tipo de treinamento, principalmente em questão de líder, é primordial, porque quanto mais baixo na hierarquia, mais você pode se desenvolver, e quanto mais se desenvolve mais vai crescendo: coordenador, gestor, gerente, diretor… porém você precisa de inteligência emocional para aprender a lidar com pessoas”, afirmou Aragol, que também é professor no programa.

LIDERANÇA SERVIDORA

Para o coach e consultor pessoal e empresarial, Renato Yaramo, a Academia de Líderes tem uma proposta diferenciada, além de ser uma iniciativa única e inovadora não só para a indústria farmacêutica, mas de forma geral para a formação do profissional na área da saúde como um todo. Até então não existia uma proposta tão profunda de equilíbrio entre o desenvolvimento comportamental no ser humano profissional da indústria farmacêutica, e o desenvolvimento técnico.

Segundo Yaramo, esse conceito hierárquico de comando e controle, “o líder manda e os colaboradores obedecem”, é um conceito antigo e que realmente funciona ainda hoje, e que veio da Segunda Guerra Mundial, principalmente da estrutura norte-americana. Foi um modelo de liderança testado e validado que as empresas adquiriram, assumiram, por ter tido resultados em diversos segmentos.

“Porém, na complexidade do mundo atual, subutilizar o potencial humano, centralizar as visões, a estratégia, o direcionamento, o propósito da liderança hoje é mais colaborativa, compartilhada, em que o líder que tem essa visão/formação oferece também a possibilidade de sua equipe colaborar com as decisões, com a visão, estratégia, planejamento, e isso traz uma liderança mais rica. Os colaboradores precisam de apoio, e esse apoio vem do líder. A proposta é uma liderança com propósito e o propósito do líder é apoiar, motivar, servir seus colaboradores. E daí que surge a liderança servidora”, ressaltou Yaramo.

CARREIRA INTERNACIONAL

Com mais de 25 anos de experiência na indústria farmacêutica, sendo que os últimos dez anos atuando na Europa (Suíça e Alemanha), Wagner Moi é um líder disruptivo, com experiência em equipes multifuncionais e virtuais. Atuou em grandes empresas nacionais e multinacionais, como Merck Sharp & Dohme, Alcon, Altana Pharma, Takeda, Nycomed, Takeda Europa e Acino, na sua maioria ocupando cargos executivos com experiência em funções globais e locais.

Inspiração para muitos, ele foi um dos convidados especiais para palestrar. Ele contou que não, necessariamente, buscou uma carreira internacional, mas uma vida internacional. “Muitas pessoas acham que o nosso País é limitado e só se pode crescer no exterior. Não sou muito partidário disso, porque lá fora também não é o paraíso, temos muitas coisas no Brasil que são valorizáveis, a área farmacêutica nacional é bastante valorizada lá fora. A carreira internacional seria uma oportunidade de experimentar diferentes culturas, de lidar com outras formas de pensar, para enriquecer, aprender outros idiomas, nesse aspecto eu acho que ela é uma boa alternativa”, atestou Moi.

NETWORKING

Especialista em Gestão e Liderança, e gerente de Desenvolvimento de Produtos no Grupo Cimed, Adryana Duarte, também é professora e coordena a Academia de Líderes do CDPI Pharma. Ela contou que o relacionamento é fundamental, porque toda trajetória é construída em cima dessas conexões que se fazem ao longo da carreira.

O networking estabelecido, bem trabalhado, abre muitas oportunidades, e não só oportunidades de emprego, mas de projetos nos quais o profissional pode estar fazendo parte, situações em que ele poderá desenvolver novas competências.

“Conseguir formar seu networking é algo que é aprendido. Na minha experiência eu era uma pessoa totalmente introspectiva e tímida, para eu estabelecer essas conexões não era algo fácil, eu precisava realmente fazer um esforço para me mostrar para as pessoas. Entendo que conseguimos desenvolver, tem alguns cursos que podemos recorrer para buscar ferramentas para trabalhar bem isso, e a melhor maneira é praticando, se dar oportunidade de conhecer novas pessoas e estabelecer relações que possam ser positivas ao nosso desenvolvimento”, garantiu Adryana.

GESTÃO NA PRÁTICA

Quem também compartilhou suas vivências foi o gestor de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação na Blau Farmacêutica, Fabrício Vargas. A gestão na prática, segundo ele, passa muito por conhecer bem seu time, conhecer basicamente todos os pontos fortes, habilidades e competências, deixar claro aonde se quer chegar, onde se tem que focar, quais os objetivos macros, quais são os entregáveis, oferecer muita transparência no dia a dia e ter muita proximidade.

“Eu já atuo na gestão há dez anos e já tive times e times, independentemente da formação, os desafios, a proximidade que a liderança tem com a equipe acaba fazendo muita diferença no final do dia, e nos faz superar nossas expectativas, atingir os nossos objetivos e nos desenvolver como um todo. Hoje meu time é composto por 60 pessoas, quatro coordenadores, e 55 analistas em diferentes níveis. É uma equipe com uma bagagem técnica bastante diversificada, com um background bastante amplo e denso tecnicamente, e que está sempre em crescimento”, disse Vargas, que foi um dos convidados especiais para o evento de encerramento.

Segundo ele, um líder sozinho não faz nada. O pensamento que tem levado para os colegas é de cada vez mais se saber dos papeis e responsabilidades de cada um, e que o papel de cada um é o todo. É importante colocar as pessoas no centro, porque todo e qualquer produto e processo, sempre terá as pessoas.

“Independentemente de qualquer contexto, ferramenta e tecnologia, a transformação sempre vai ser humana. Isso é fundamental nos times que atuo. Que as pessoas saibam a presença e importância de cada um para com o time e para com os outros”, afirmou Vargas.

OPINIÕES DOS ALUNOS

A farmacêutica atuante Grupo Cimed, em Pouso Alegre, na área parte de P&D e documentação técnica, Meíre Lopes, aprovou a metodologia e achou também as aulas online maravilhosas. Um diferencial da Academia de Líderes foi alinhar a técnica e também a questão emocional e o autoconhecimento. “Eu não sabia que isso era tão importante para desenvolver a liderança. Acho que foi muito incrível essa mistura, para eu tentar buscar mais esse meu lado”, disse.

A química e coordenadora de desenvolvimento analítico no Instituto Bioquímico, Marina Beghini, buscou o treinamento porque assumiu um cargo de gestão sem ter feito nada parecido antes. Atualmente lidera dez pessoas diretamente. “Estou encantada com o curso, com todos os professores, muito interessante trazer o pessoal da indústria e você vê diretor humano, porque temos a visão de que na autogestão todos são robôs, que são profissionais perfeitos, e não, são humanos como nós”, comentou.

No Grupo Cimed desde 2007, Patrícia Martins é analista sênior de Equivalência Farmacêutica. Procurou o curso porque deseja estar preparada para quando surgir uma vaga de gestão. “Eu queria mais ferramentas, conhecimento sobre a parte de gestão e liderança, pelo escopo do curso e currículo dos convidados eu percebi que poderia me ajudar bastante. Superou minhas expectativas”, afirmou.

Saiba mais, também, sobre o lançamento da pós-graduação do CPDI – Pharma em Gestão da Qualidade. Acesse: https://www.cdpipharma.com.br/gestaodaqualidadde.

Participe da Academia de Líderes do CDPI Pharma – o reconhecimento imprescindível para quem deseja promover transformações relevantes na carreira farmacêutica industrial. Para mais informações, entre em contato pelo WhatsApp (62) 98162-4758 ou pelo e-mail cursos@cdpipharma.com.br.

Faça parte do nosso grupo de WhatsApp para receber notícias relacionadas à indústria farmacêutica. Clique aqui e faça parte do seleto grupo CDPI Notícias.

Contato

  • Cyntia Cavalcante
    Supervisora Comercial
    treinamentos@cdpipharma.com.br

  • Heliana Brandão
    Diretora Comercial
    Telefone: (62) 3110-5568 / 9.8162-4758 / 9.9682-3163

  • CDPI PHARMA
    Rua 03, N° 663 - St. Oeste | Cep: 74.115-050 | Goiânia - GO

  • ATENDIMENTO
    De Segunda a Sexta-Feira, das 08 ás 17hs.

Fale Conosco

© CDPI Pharma. All rights reserved.
By Next4

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp x